sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Filhos em formação


O meu Brasil

É o Brasil destemeroso das vaquejadas,
Que nos grotões, em cóleras, explode;
O Brasil que chora na voz do aboio nas quebradas
E dança na espiral do aço que sacode...

É o Brasil garimpeiro, o Brasil que, no fundo
Dos rios, morde a terra e coleia de astros,
Para trazer ao sol, para mostrar ao mundo,
Vindas da ganga impura, as pedras que são astros.

É o Brasil triste das casas mal assombradas,
Espalhando na noite uivos longos e cravos;
O Brasil que partiu, com as mãos ensanguentadas,
As guilhetas de todos os escravos.

É o Brasil semeador de lendas sertanejas,
De onde nos veio o Buriti, de Afonso Arinos;
O Brasil de Ouro Preto, o Brasil das igrejas,
A embalar os cristãos na viola dos seus sinos.
(Continua...)

(Olegário Mariano)


quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Amigão





O meu Brasil

É o Brasil que através as solidões noturnas
Pelas frotas rasteja e se contorce e freme.
O Brasil violador das serras e das furnas,
Que acorda ao brado de Fernão Dias Pais Leme.

É o Brasil da Aventura! - Brasil bandeirante,
Rompendo os matagais e escalando as espaldas,
Para rolar, barranca abaixo, agonizante,
Em farrapos, com as mãos faiscando de esmeraldas.

É o Brasil que bebe na concha das mãos crispadas
A água  pura dos rios, se tem sede,
E dorme, sob a unção das noites estreladas,
Embriagando de luz, ao balanço da rede. 

É o Brasil de mãos calosas  que os campos  dilacera
E vê, passada a sarabanda dos temporais,
Num milagre divino, o hálito da Primavera
Desfraldar a bandeira verde dos canaviais.
(continua...)

(Olegário Mariano)



domingo, 25 de agosto de 2013

Amigo do vovô


O amigão do vovô e meu...


Sempre gostou de brincar...

O meu Brasil

É o Brasil que, ao canto matinal do acorda vaqueiro,
Abre os olhos atônitos para a paisagem,
E, retesando os músculos de guerreiro,
Olha de frente o sol, como um touro selvagem.

É o Brasil de cocar e de tacape ao braço,
O ouvido  em terra ou a erguer as mãos ameaçadoras.
Para, num salto de jaguar, suster o passo
Das primeiras bandeiras invasoras.

É o Brasil campeador, o Brasil das guerrilhas
Dos Pampas, que à feição de centauros, avança
Pelos banhados e restingas e coxilhas
Peleando no entrevero a pontaços de lança.

É o Brasil que depois da luta e da inclemência
Volta aos pagos, vencendo a exaustão que o domina,
Para, sorvendo o mate amargo da Querência
Por a guaiaca e o coração aos pés da China.
(continua...)

(Olegário Mariano)

sábado, 24 de agosto de 2013

Festinhas Infantis


Última festa infantil, aos 10 anos


Meu filho cresceu e segue sendo o meu herói...

O meu Brasil

Vinde ver! Vinde ouvir, homens de terra estranha!
O Brasil de minha alma, atormentando e aflito,
Cujo nome parece um grito de montanha,
De quebrada em quebrada, acordando o infinito,

Não é esse Brasil de vida efêmera e leviana,
Superficial, anêmico, franzino:
É o Brasil que nasceu na minha terra pernambucana,
O Brasil que  embalou meus sonhos de menino.

É o Brasil intrépido na pela retesa e bronzeada
Do caboclo feliz como um galo da serra;
O caboclo que, com o dealbar da madrugada,
Faz o sinal da cruz e vai cavar a terra.
(continua)

(Olegário Mariano)








sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Dia de princesa da filha


Ninguém nasce por acaso ou por descuido. Cada ser humano tem uma missão a desempenhar neste mundo.
 (Beth Guedes )


Brasil

Verde pátria que em seu sono profundo,
Escondias teu régio esplendor,
Vem mostrar pra espanto do mundo,
Teus tesouros de força e de amor.

Salve, terra dos rios enormes,
-Virgem berço da raça Tupi!
Acorda, desperta, se dormes,
Que teus filhos já clamam por ti!

Se teus rios empolam as águas,
A distância as do oceano contém,
Saberemos, poupando-te mágoas,
Repetir o estrangeiro, também.

Tuas selvas serão nosso templo,
Tuas serras nosso único altar,
Dos avós seguiremos o exemplo,
Combatendo na terra e no mar.

Se nas cores que trem nos mostras
As estrelas enfeitam teu véu,
Hás de tê-las bem alto, entre os astros,
Entre as outras estrelas do Céu!

Salve, terra  dos rios enormes,
-Virgem berço, da raça Tupi!
Anda, acorda, desperta, se dormes,
Que teus filhos já chamam por ti!
(Humberto de Campos)




quinta-feira, 22 de agosto de 2013

14 anos da filha




Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente, para que sejam capazes de experimentar e comprovar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus. 
(Rm 12,2)

Brasil Menino

Então o Brasil menino
Rabiscou no seu caderno
De figuras esta história
Do seu destino:

Primeira a manhã indígena
Saiu da montanha espessa
Trazendo um cocar vermelho
Sobre a cabeça;

Depois o dia marítimo
Das velhas naus portuguesas
Saltou de dentro das ondas
Qual pássaro branco
Ruflando a asa enorme
Das velas retesas;

E a Noite africana, por último,
Que chegou amarrada
No porão do navio
Com os  seus orixás
Com os seus amuletos
E que veio para terra
Trazida nos ombros

Dos pretos...

Então, nasceram os gigantes:
O primeiro, tostado
No sol da manhã;
O segundo, marcado
Com o fogo do dia;
O terceiro criado
Como leite da noite,
E todos três
Calçaram botas de sete léguas
E era uma vez...
(Cassiano Ricardo)

http://youtu.be/5PAAn_42yC4



quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Minha filha, amiga dos animais



Para a filha que gosta de gatos...

Bandeira do Brasil

Bandeira do Brasil! Colorida e festiva.
Alegre como a Paz, vibrante com um hino.
Desfraldada nos céus, mais pareces um viva!
Erguido em saudação à Pátria e ao seu destino!

Bandeira do Brasil! Simbolizas a terra,
A terra e o amor, o sol e o céu, a história e o povo!
Alegre e juvenil teu colorido encerra
A beleza e a expressão de um continente novo!

Outra não sei que seja tão viva e bela,
Atraente ao olhar e ao coração mais nobre.
Teu amarelo é sol, e teu azul se estrela
Tal como o céu azul sereno que nos cobre.

Bandeira do Brasil! Irmã de outras bandeiras,
Tua alma para mim tem somente uma cor;
Mesmo sobrepairando as lutas e as bandeiras
És branca como a paz e para como o Amor!

Bandeira do brasil, - almas de todos nos!
Hino de cores no ar saudando a humanidade!
Que depois de enxugar o sangue dos heróis
Possa secar em paz ao sol da liberdade!
(J. G. de Araújo Jorge)  





terça-feira, 20 de agosto de 2013

Felizes


Entregue o seu caminho ao Senhor; confie nele, e ele agirá: 
(Sl 37,5)

Brasileiro, onde está tua pátria?

Tua Pátria não está somente no torrão em que nasceste;
Tua Pátria não se levanta num simples relevo topográfico.

O solo em que pisas,
As águias em que te refletes,
O céu que te alumia,
As árvores que te dão vozes, frutos e sombras,
As fontes que te dessedentam,
O ar que respiras,
Recebeste, em partilha, com todos os homens
Sobre a terra.
Tua Pátria não é um acidente geográfico!

Brasileiro,
Se te perguntarem: Onde está a tua Pátria?
Responde:

-Minha Pátria está a geografia ideal que os meus 
Grandes Mortos nos gravaram no coração;
No sangue com que temperaram a minha energia;
Na essência misteriosa que transfundiam no meu caráter;

Na herança do sacrifício que me transmitiram;
Na herança cunhada a fogo;
No ferro, no bronze e no alço das bandeiras das Guararapes,
Das Minas da Independência, da Confederação do Equador,
Do Ipiranga e do Paraguai.

Minha Pátria está na consciência que tenho da sua grandeza
Moral e nessa lição de ternura humana que  a sua imensidade
Me oferece, como símbolo perene de tolerância desmedida e infinita Generosidade.

Minha Pátria está em ti, minha Mãe! No orgulho comovido
Com que arrancaste das entranhas do meu ser a mais bela
Das palavras, o nome supremo; - BRASIL!
(Ronald de Carvalho)







segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Meu anjo bom


Não fui eu que ordenei a você? Seja forte e corajoso! Não se apavore nem desanime, pois o Senhor, o seu Deus, estará com você por onde você andar". 
(Josué 1,9)

Treze de Maio

Negra sombra de crepe, o mais triste e pesado,
Manchava o coração deste Brasil inteiro!
E contra aquela herança ignóbil do passado
Erguia-se, a clamar, o povo brasileiro!

Abaixo a escravidão! - Era o contínuo brado
De norte a sul vibrando, uníssono e altaneiro.
Oh! Como ser feliz um pouco que, humilhado,
Vê no solo comum o irmão qual um rafeiro?

Abaixo a escravidão! - foi vibrando, vibrando
De quebrada em quebrada, o estigma repudiando,
Até que a atra viu da atra sombra  o desmaio...

E, como após a noite, aziaga de procela,
Surge a manhã de sol, esplendorosa e bela,
-Assim foi que o Brasil sagrou 13 de Maio!
(Abílio Barreto)







domingo, 18 de agosto de 2013

Meus tesouros


ORAÇÃO DO JOVEM

Ó Cristo Jesus,
Tu foste jovem como eu.
Soubeste como ninguém;
viver os anos mais belos da tua vida.
Deste-me exemplo de uma juventude
sem sombras nem pesadelos.
conheces o meu coração
e as minhas aspirações.
Conheces também as minhas ansiedades
e sabes como é difícil ser jovem hoje.
Ensina-me a ser jovem:
Dá-me um coração bom e puro,
manso e humilde como o teu.
Purifica os meus pensamentos e desejos,
os meus olhares, palavras e acções.
Põe no meu coração:
os teus sentimentos de amor,
de entusiasmo e de disponibilidade,
para realizar a vontade do Pai.
torna-me capaz de anunciar
a Verdade, a Paz, o amor,
e de fazer de Ti o Coração do Mundo.
Quero, com a Tua ajuda,
testemunhar o Evangelho,
para que o mundo se torne mais belo,
e os homens vivam como irmãos,
Ámen!


sábado, 17 de agosto de 2013

16 anos da filha


Busquem, pois, em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas serão acrescentadas a vocês. 
(Mt 6,33)

Brasil

Braisl! Palavra mágica! Quem há
Que o não evoque, ouvindo-a? Mas quem é
Que não se abrasa de esperança e fé,
Ante esta voz que o sonho acordará?

Em - Brasil- há o sabor do cambucá,
Do caju, do ananás ou do café,
O cheiro dos jasmins no Sumaré,
Das mangas fulvas de Itamaracá!

Brasil! Brasume irial, nome rubi!
Tão perfumado quanto o bacuri,
Quanto a gardênia do Caparaó!

Brasil se és beijo, flor e fruto és tu!
Vergel que o ouro do sol transmuda em pó,
E onde canta, ao luar, o irapuru!
(Martins Fontes)


sexta-feira, 16 de agosto de 2013

A filha dos gatinhos


A que gosta de gatinhos...


A Terra Brasileira

Pátria que tens no nome a rubra cor da aurora
E no verde pendão que o globo azul decora
A eterna primavera alçando em núcleo de ouro,
O Cruzeiro do Sul guardas como um tesouro,
És Pátria ideal, pacífica e altaneira,
O país da aliança- A terra Brasileira!

Na Terra Brasileira as aves quando cantam,
Em êxtases de glória as almas se levantam.
As belezas sem par da natureza inteira
Vêm todas coroar-te, ó Terra Brasileira!
Fulgores aurorais, crepúsculos dormentes,
Noites de sonho azul e de astros esplendentes,
Céu que o prisma desenha em mágica pintura,
Rosto de criador sorrindo à criatura,
Vinde todos gozar essa visão fagueira
No horizonte, sem fim, da Terra Brasileira!

És grande e foste agora e no passado.
De heroísmo e amor és berço e túmulo sarado!
Serás ainda maior, pregando à humanidade
O trabalho, a ciência, a paz e a liberdade
E ao clarão estelar da trêmula bandeira,
Hás de sorrir feliz, ó Terra Brasileira!
(Augusto de Lima)



quinta-feira, 15 de agosto de 2013

Férias


"Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai, a não ser por mim. 
(Jo 14:6)

Terra de Vera Cruz

Ufana velejava a frota de Cabral
Em rumo e direção da Índia Oriental,
Quando, uma, noite, erguendo o olhar ao firmamento
O frade capelão de bordo viu (portento
Inigualável) que, no meio da amplidão
Celeste, se ostentava a cruz da Redenção,
Formada pela grei de cinco estrelas de ouro:
-Vaticínio veraz de evento porvindouro.

Não podendo conter  sua alegria imensa,
Chama a tripulação que, atônita e suspensa,
Se queda a contemplar a estranha maravilha,
Que no espaço estelar tanto refulge e brilha...

Dias após surgia aos olhos da maruja
Uma terra de viço incomparável, cuja
Aparição de um milagre estupendo!

Por isso à região que representa a flux,
Houve por bem chamar TERRA DE VERA CRUZ...
(Carlos Góis)


terça-feira, 13 de agosto de 2013

Lembranças Inesquecíveis

(filho)

(filhos)

(filhos)



(filho)


(filho)


(filha)




Alguns cartões dos filhos ao longo dos anos...

Brasil
Belo céu de turquesa sempre claro,
Refletido num mar soberbo e extenso,
Grandes canais varando o mato denso,
Flor das Pátrias, Brasil, tesouro raro!

Minha mãe, minha terra, meu amparo,
Lindo sólio de amor, sertão imenso,
É só na tua glória que, hoje, penso!
Zela por teus brasões, ufano e avaro!

O teu passado é fúlgido. Trabalha!
Mas guarda sempre o nome das figuras,
Autoras da expressão que tens na História.

Seja essa a tua força na batalha,
E só assim terás o que procuras:
Graça, poder, riqueza, luz e glória!
(Félix Pacheco)


segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Um pai amigo dos netos


Ao Brasil

Bela estrela de luz, diamante fúlgido
Da coroa de deus, pérola fina
Dos ares do Ocidente,
Oh! Como altiva, sobre nuvens de oiro,
A fronte elevas, afogando em chamas
O velho continente!

Oh! Terra de meu berço, oh! Pátria amada!
Ergue a fronte gentil, ungida em glórias
De uma grande nação!
Quando sobre o Brasil, os brasileiros
Lavam as manchas ou debaixo morrem
Do santo pavilhão!
(Fagundes Varela)

domingo, 11 de agosto de 2013

Doce amiga


Porque Deus tanto amou o mundo que deu o seu Filho Unigênito, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna. 
(Jo 3,16)


O pássaro cativo

Não quero a tua esplêndida gaiola!
Pois nenhuma riqueza me consola
De haver perdido aquilo que perdi...
Prefiro o ninho humilde construído
De folhas secas, plácido e escondido
Entre os galhos das árvores amigas...
Solta-me ao vento e ao sol!

Com que direito à escravidão me obriga?
Quero saudar as pompas do arrebol!
Quero, ao cair da tarde,
Entoar minhas tristíssimas cantigas!
Por que me prendes? Solta-me covarde!
Deus me deu por gaiola a imensidade...
Não me roubes a minha liberdade...
Quero voar! voar!...

Estas coisas pássaro diria,
Se pudesse falar.
E a tua alma, criança, tremeria,
Vendo tanta aflição:
E a tua mão, tremendo, lhe abriria
A porta da prisão...
(Olavo Bilac)


Customizado por Meri Pellens.